Retalho cresceu 3,4% em 2018

iStock-676434046.jpg

O setor do retalho (alimentar e não alimentar) cresceu 3,4% em 2018, atingindo os 20.945 milhões de euros de volume de vendas, revelam os dados do Barómetro de Vendas da APED – Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição.

O retalho não alimentar assumiu um papel de destaque neste desempenho positivo ao crescer 4,3%, face a 2017, com um total de volume de vendas de 8.542 milhões de euros.

No segmento não alimentar, a categoria de Equipamentos de Telecomunicações alcançou um lugar de evidência com um aumento de 9,5% do volume de vendas. Entre as categorias que mais cresceram estão ainda os Pequenos Eletrodomésticos a subir 7,1% e os Grandes Eletrodomésticos com uma taxa de crescimento de 6,8%, face a 2017.

O retalho alimentar registou um desempenho igualmente positivo, aumentando 2,8% no volume de vendas, atingindo os 12.403 milhões de euros. Neste segmento, no top 3 de categorias que registaram um maior crescimento estão os Congelados (6,1%), os Perecíveis/Frescos (4,1%) e Mercearia (4,0%).

O único mercado que registou uma quebra no retalho foi Fotografia com uma variação de -6,2% do volume de vendas.

De acordo com os dados do Barómetro de Vendas da APED, a quota de mercado de marca própria da distribuição manteve-se estável face ao ano transato com um ligeiro aumento de 0,2 pontos percentuais, tendo atingido uma quota de mercado de 33,6%.

Estes indicadores evidenciam um sector dinâmico, sustentável e contribuinte líquido para o crescimento do emprego e da actividade económica do país com benefício para os consumidores.