O poder de compra da geração Z

iStock-490584978.jpg

Apesar das expectativas de que a primeira geração "digitalmente nativa" compre somente online, um novo estudo da americana IBM e da National Retail Federation revelou que quase todos os membros da geração Z preferem comprar em lojas físicas.

A geração Z, nascida entre meados da década de 90 e o início dos anos 2000, é o primeiro grupo a crescer sem conhecer o mundo antes dos smartphones e outros dispositivos digitais. Porém, 67% desta geração faz compras em lojas físicas.

De acordo com o estudo, os retalhistas precisam de criar um envolvimento mais interativo em torno das marcas, com foco nos dispositivos móveis, de forma a conseguir atingir esta audiência que deverá chegar aos 2,6 biliões já em 2020. "A geração Z espera que a tecnologia seja intuitiva, relevante e envolvente – a sua última grande experiência é a sua nova expectativa", referiu Steve Laughlin, Gerente de Global Consumer Industries da IBM.

Esta nova geração tem um elevado poder de compra: 75% dos inquiridos no estudo da IBM afirmam gastar mais de metade do dinheiro disponível mensalmente em lojas. No entanto, também esperam que as marcas correspondam às suas expectativas: 52% dos consumidores garantem tornar-se fiéis a uma nova marca caso a qualidade desta seja inferior.

O estudo "Uniquely Gen Z", realizado pelo IBM Institute for Business Value, baseia-se no questionário a mais de 15.000 consumidores americanos, com idades compreendidas entre os 13 e os 21 anos, de 16 países.